Skip to content

SILÊNCIO, que estamos na Semana Europeia da Mobilidade

É sexta-feira de manhã. Viver no centro da cidade e numa avenida bastante movimentada para mim só tem 1 defeito: a poluição, principalmente a poluição sonora, que é a mais “visível”. O ruído é grande, os carros já fazem fila, ouvem-se os motores e as buzinas, as pessoas elevam o tom de voz para se escutarem e os aviões que passam rente ao prédio, não deixam ouvir mais nada.

Se olharmos para o relatório “Noise in Europe 2020” da Agência Europeia do Ambiente, é nas estradas em zonas urbanas que se registam os decibéis mais altos que podem ser bastante prejudiciais para a nossa saúde. No entanto, as vantagens de estar no centro são enormes, tudo está perto e acessível e a movimentação e correria matinal, para dizer a verdade, dão-me um certo estímulo para começar o dia.

Quando saio da porta do prédio onde vivo, atravesso a estrada e tenho uma estação de bicicletas da Câmara Municipal de Lisboa – as famosas Gira. Em 2018, quando começavam a ser instaladas as primeiras estações, olhava para elas com relutância. Afinal, Lisboa, ao contrário de outras capitais europeias é a cidade das 7 colinas e seria fisicamente impensável andar de bicicleta a subir colinas. Depois de perceber que para além das bicicletas normais, também existiam as elétricas, instalei com mais confiança a aplicação Gira.

Foi no dia 2 de Julho de 2018 (o histórico da aplicação não me deixa mentir) que fiz a minha primeira viagem até ao escritório da Helexia e adotei a partir daí um trajeto para o trabalho mais económico, mais verde e, sim, mais silencioso. Passados mais de 280 trajetos de bicicleta e mais de 100 a pé e outros tantos de trotinete elétrica, o saldo é muito positivo. Tem sido sempre mais relaxante ir com o ar fresco da manhã do que entrar no carro e lidar com o trânsito matinal.

A experiência de não enfrentar o trânsito nas horas de ponta deixa-me bastante aliviado quando olho para o estudo da TOMTOM Trafic Index. O estudo refere que anualmente, o tempo extra gasto no trânsito matinal e de final de dia na cidade de Lisboa é de 163 horas – 6 dias e 19 horas. Estudos à parte, a minha experiência tem sido muito positiva e felizmente, os dias solarengos são muitos, mais de 255 no ano passado (Pordata), o que facilita bastante no trajeto.

A mobilidade traz-nos grandes desafios nas próximas décadas e um deles é minimizar os seus ruídos. A Organização Mundial de Saúde tem vindo a identificar várias evidências sobre o que reconhece como um problema de saúde pública – o ruído ambiental. Que este tipo de poluição, a sonora, possa fazer parte da discussão para a melhoria do ambiente em geral. Porquê? Porque sabe muito melhor ir para o trabalho pela manhã, com o ar leve e fresco, sem lixo na rua, com o Tejo limpo e os pássaros a cantar.

Communication Specialist at Helexia

Subscreva
a Newsletter

Subscreva
a Newsletter

MAIS NOTÍCIAS

separator-shape-03
This is Tooltip!