Skip to content

Orgulho em fazer parte da equipa

Artigo Publicado na Revista Human.

 

A Helexia investe na transição energética como fator essencial para um desenvolvimento equilibrado e sustentável, estando presente em toda a cadeia de valor dos projetos (de energia renovável), desde o desenvolvimento, a construção, a operação, a manutenção e o financiamento.

«Estamos suportados por uma estrutura acionista sólida e com uma visão de longo prazo e, além de Portugal, temos presença em França, Itália, Bélgica, Espanha, Brasil, Hungria, Polónia e Roménia», afirma Joana Couto, ‘people and talent manager’ da empresa, que acrescenta: «Já realizámos inúmeros projetos de eficiência energética, de produção descentralizada de energia, e colocámos em funcionamento, globalmente, mais de 372 centrais fotovoltaicas em coberturas e ‘parkings’, num total de mais de 100 MWp [Megawatts-pico] e 140 milhões de euros de investimento, tendo como ambição tornarmo-nos, cada vez mais, um ‘player’ de referência no sector dos serviços energéticos.»

A empresa participou pela primeira vez na certificação Great Place to Work. «Mais do que o reconhecimento externo e a visibilidade natural que advém da participação num estudo de clima organizacional deste tipo, orgulha-nos perceber que aquilo que somos como equipa, no nosso contexto e na nossa realidade, no respeito pela individualidade de cada um, na nossa People-Centric-Culture, nos promove reconhecimento, palco e aplausos. É um orgulho fazer parte desta equipa que todos os dias é mais e melhor. Todos os dias!», assinala a responsável.

Referindo-se ao cenário de pós-pandemia, Joana Couto partilha: «Naturalmente também tivemos de nos ajustar. O modelo de trabalho ‘home office’, ainda que já fosse uma alternativa adotada por nós, acabou por ganhar corpo de uma forma transversal a toda a equipa, com exceção das funções operacionais e de terreno, por motivos óbvios. Essa flexibilidade no trabalho, além de tendência, é para nós uma forma de estar. E o contexto contribuiu também para uma inversão naquilo que mais valorizamos ao nível das ‘skills’ dos nossos colaboradores. As ‘hard-skills’ deixaram de estar em primeiro plano, passaram a ser as ‘soft skills’ a estar mais e mais em destaque, tornando-se pontos importantes no ‘assessment’ interno das competências da equipa, auxiliando nos processos de recrutamento e seleção, nas oportunidades internas, na evolução de carreira das nossas pessoas.»

 

«Valorizamos, acima de tudo, a individualidade de cada um, aquilo que nos torna únicos, na certeza de que todos, enquanto equipa, somos muito, mas muito mais do que a soma das partes», partilha Joana Couto, ‘people and talent manager’ da Helexia.

 

A responsável prossegue: «A incerteza dos últimos dois anos faz parte da realidade dos recursos humanos e da gestão de empresas e de pessoas. A mudança acontece ao segundo, e gera incertezas onde raramente há, se é que há, uma solução única e direta para ir do presente ao futuro num instante. Na Helexia partimos do princípio de que estamos sempre a construir a partir de um ponto diferente e que é neste ‘drive’ que vamos continuar a desbravar o nosso próprio futuro bem-sucedido. Todos os dias descobrimos novos traçados do caminho, testamos soluções, reinventamos formas de colaboração, assumimos com humildade a nossa predisposição para o erro, mas acima de tudo, na Helexia, assumimos com orgulho uma maior capacidade para reaprender e redefinir objetivos sempre que necessário.»

Na empresa, Joana Couto considera difícil destacar uma iniciativa de recursos humanos em particular. «Privilegiamos muito a comunicação interna para promover iniciativas diversas – celebrar datas especiais, promover eventos ‘fun’, partilhar resultados, objetivos e ambições, dar palco aos sucessos e às nossas conquistas, contribuir para o ‘commitment’ e para o sentido de identidade e pertença da equipa. Todas estas iniciativas permitem-nos ir aferindo os níveis de ‘happiness’ no trabalho. Acreditamos mesmo que pessoas mais felizes são mais motivadas, mais criativas, mais colaborativas, mais alinhadas com aquela que é a nossa identidade.»

A Helexia valoriza as pessoas com mentalidade ecológica e consciência ambiental. Pessoas com sentido de propósito e que se assumem como embaixadoras da sustentabilidade nas ações do dia-a-dia. «Valorizamos os eco-colaboradores. Valorizamos os colaboradores que questionam tudo o que fazemos com a intenção genuína de fazer mais, de fazer melhor, de contribuir para um mundo mais verde e mais sustentável» afirma Joana Couto, e sintetiza: «Valorizamos, acima de tudo, a individualidade de cada um, aquilo que nos torna únicos, na certeza de que todos, enquanto equipa, somos muito, mas muito mais do que a soma das partes. Na Helexia motiva-nos, acima de tudo, a possibilidade de criarmos um impacto positivo no contexto onde estamos inseridos, e é disso que é feito o DNA das nossas pessoas.» Ainda com ligação a este tema, a responsável assinala: «A cada dia o mundo dá mais um passo para uma economia mais verde, e na Helexia nós também redobramos esforços para reduzir o nosso impacto no planeta, sendo essa uma responsabilidade muito natural da área de Recursos Humanos.»

O maior papel de Joana Couto, enquanto ‘people and talent manager’ na Helexia em Portugal, como a própria enfatiza, «passa naturalmente por promover práticas mais sustentáveis junto da equipa».

People and Talent manager

Subscreva
a Newsletter

Subscreva
a Newsletter

MAIS NOTÍCIAS

separator-shape-03
This is Tooltip!