Skip to content

O Potencial de emprego na energia solar na Europa

Como fonte de energia mais flexível e de baixo custo, a energia solar europeia vai expandir-se rapidamente nos próximos anos para garantir a segurança energética do continente e dos objetivos climáticos. Para tal, a força de trabalho solar deve expandir-se rapidamente também. Um dos mais recentes projetos públicos da SolarPower Europe – o EU Solar Jobs Report 2021 – refere esta necessidade crescente.

O “EU Solar Jobs Report 2021” descreve o panorama do emprego solar da UE em 2020 – 357.000 empregos a tempo inteiro neste setor – e estabelece perspetivas de cinco e dez anos com base em diferentes níveis de ambição. Notavelmente, se a Comissão Europeia adotar a meta proposta de 45% de energias renováveis ​​para 2030, podemos esperar que os empregos solares na UE mais do que tripliquem, chegando a 1,1 milhão em uma década. Mesmo para os níveis atuais que se ambicionam, os empregos em energia solar podem subir para 742.000 no mesmo ano. A médio prazo, o estudo prevê a criação de 584.000 empregos solares na UE até 2025 – um aumento de 64% em cinco anos.

Para uma transição energética justa, o relatório também identifica a capacidade do setor da energia solar absorver os 500.000 trabalhadores da UE que trabalham no carvão. Prevê-se que metade destes empregos relacionado com o carvão, sejam eliminados dentro de uma década.

O relatório EU Solar Jobs faz seis recomendações políticas principais para maximizar a oportunidade e atender à necessidade do crescente número de empregos solares:

  1. Aumentar a ambição da UE em direção à meta de 45% de energia renovável até 2030 – colocando o continente no caminho para alcançar os objetivos climáticas de Paris e atingir o valor líquido zero até 2050, da forma mais económica, ao mesmo tempo que cria 1,1 milhão de empregos.
  1. O Solar é a chave crucial para cumprir o Acordo de Paris, os formuladores de políticas devem agilizar os lentos procedimentos administrativos e de licenciamento para a rápida implementação de projetos.
  1. Promover uma estratégia industrial solar para a UE que fornecer segurança energética a longo prazo – com a ambição da energia solar a assumir a responsabilidade pela maior parte da geração de energia numa economia descarbonizada, a UE deve estabelecer uma indústria transformadora nacional para estar protegida contra a instabilidade da cadeia de abastecimento.
  1. Resolver a falta de mão-de-obra – os Estados-Membros da UE devem facilitar formação urgente para desenvolver uma mão-de-obra qualificada, que preencha o número crescente de empregos essenciais.
  1. Desenvolver ferramentas políticas abrangentes para as coberturas de edifícios – Sistemas fotovoltaicos em locais residenciais, comerciais e industriais criam mais empregos do que sistemas em escala de serviço público, devido à sua maior intensidade de trabalho durante a fase de instalação. Devem por isso ser desenvolvidas rapidamente estratégias para implantar fotovoltaico no telhado para desbloquear este enorme potencial solar e de trabalho.
  1. Promover a diversidade na indústria solar – as mulheres representam apenas 32% dos empregos em energia renovável; o acesso a programas de formação é a principal prioridade para melhorar o equilíbrio de género no setor. Uma força de trabalho da UE mais diversificada em termos de género, origem social e étnica e orientação sexual permitiriam também uma melhor utilização dos talentos e competências dos trabalhadores da UE.

Existe uma carreira para todos na energia solar!

 

Fonte: SolarPower Europe

Subscreva
a Newsletter

Subscreva
a Newsletter

MAIS NOTÍCIAS

separator-shape-03